Doze horas. Doze casas. Doze cavaleiros de ouro. Foi este o grande caminho da nova geração dos defensores de Athena na segunda temporada de Os Cavaleiros do Zodíaco – Ômega, que acaba no Japão no próximo sábado, dia 30 de março. E foi uma trajetória com alguns baixos e vários altos — tal qual, vamos concordar, aconteceu com a série clássica.

Nessa reta final, vale voltar com o nosso relato judônico dos episódios. MAS NÃO SE EMPOLGUE. É algo excepcional. Até porque o que foi visto no episódio 50 de Ômega, que foi ao ar no Japão neste último fim de semana, merece.

Sendo assim, vai aqui o aviso por mais uma vez: preparado para os SPOILERS!?

Acabou? Não!

O episódio começa com tudo FODIDO. Marte, que era o grande vilão, já foi derrotado há tempos por Eden de Órion e Kouga de Pégaso. Medeia, a mulher do cara, se revelou uma verdadeira megera manipuladora e também se foi, assim como o irmão tarado dela, Amor de Peixes. Só que os perigos não acabaram.

De alguma forma, Medeia manipulou Kouga para que ele despertasse dentro de si o Deus das Trevas chamado Apsu. Eden até tentou usar o cajado de Aria, a falecida falsa Athena, para deter Apsu-Kouga, mas fracassou (sendo que foi aí quando a Medeia morreu). Agora, o novo vilão apenas quer matar Athena enquanto o planeta Marte consome o que sobrou do cosmo da Terra, acabando com o nosso planeta.

Os cavaleiros de bronze nada podem fazer, já que na luta contra Apsu acabaram mortalmente dominados pelas marcas das trevas, as mesmas que botaram os clássicos cavaleiros fora de combate. Enquanto isso, na Terra, os cavaleiros de ouro que sobraram se esforçam para não deixar que a Terra se desfaça.

A única que tem alguma força é Yuna de Águia. Apesar de uma pequena marca das trevas na perna, ela ainda tem forças para lutar — o que é facilitado pelo fato de Apsu, que seria o vilão mais foda de Ômega até aqui, inacreditavelmente anda e luta em slow.

Após um flashback no qual lembrou toda a vida, Yuna é chamada por Athena. Sim, ela, além de ficar sofrendo presa numa árvore, ainda gosta de ver os cavaleiros que lutam por ela apanhando. Depois de umas palavras de incentivo, a deusa fala algo como “vai lá e chuta a bunda desse fedelho”, pedido que é prontamente atendido.

Não dá muito certo, claro. Yuna apanha e tenta usar aquele discurso de “lembre de tudo que passamos, mimimi, blá blá blá, não deixe a escuridão te dominar”. Também não funciona. Ao mesmo tempo, um pedaço do cajado da Aria vai caindo em um buraco profundo. Caindo, caindo, caindo… Até cair em uma corrente.

Enquanto isso, na Terra, Touro, Virgem, Libra e Aries seguem tentando evitar o fim do nosso planeta e pensando “O QUE AQUELES PIRRALHOS ESTÃO FAZENDO EM MARTE? LÁ NÃO É A DISNEY, PORRA”.

Gente, calma. A Yuna continua lá, lutando, mas sem fazer um aranhão no Apsu. Ao ver que nada dá certo, Yuna grita. Grita MUITO. Um grito que mostra a dor que ela sente. Uma dor na ALMA.

Lá nas profundezas de marte, um pedaço de cosmo cai em um ombro dominado por uma marca das trevas.

Kouga… Quer dizer, Apsu junta um poder maior no punho e passa a atacar Yuna para MATÁ-LA, dominando o corpo da amazona com marcas das trevas. Caiu a última amazona de bronze que tinha forças para derrotar o inimigo.

Apsu vai finalmente até Athena. “Agora desapareça na escuridão”, ele diz. Rapidamente, a deusa lembra o que aconteceu anos antes, quando o meteoro caiu na Terra. Ela conta que aquele meteoro era, na verdade, o próprio Apsu, o Deus da Escuridão. Ela, de armadura, tentou proteger a Terra, mas o pequeno Kouga, que estava perto, foi exposto à energia das trevas, assim como Aria foi exposta à energia de luz de Athena.

Saori criou o garoto na luz, para nunca ser tentado pelas trevas. Mas ela falhou.

Isso explica muita coisa. Principalmente de onde veio esse tal de Apsu e porque ele dominou o corpo do Kouga. Pesquisando rapidamente (obrigado, Google!) descobri que Apsu foi um deus das mitologias Suméria e Acádia, muito anterior à mitologia grega.

O esperado retorno!

Voltando ao episódio. Com lágrimas no rosto, Athena diz “Kouga, eu acredito em você… Que você voltará para nós…”. É, Saori, não há mais o que fazer. Acabou.

Quer dizer, não acabou. As energias da crença de Athena, Yuna e dos outros cavaleiros de bronze é palpável. Palpável o suficiente para ser vista a olho nu na noite marciana. Vemos aquela energia entrando nas profundezas do planeta chegando até o…

SEIYA!!!!!

Aquela força, aquela energia finalmente acorda o cavaleiro. Com a forma que lembra muito a Aria, aquela energia finalmente liberta as correntes que prendiam o Seiya.

Lá em cima, Apsu sente o que está por vir. Assim como Athena (<3). Um grande cosmo surge. O LENDÁRIO CAVALEIRO ESTÁ DE VOLTA PARA A LUTA!

“A luz pura e a voz da esperança dessas almas jovens me acordaram das trevas de Marte. Na minha luta contra Marte, eu mesmo pulei nas trevas para impedir a sua ressurreição, Apsu! Marte sabia que estava sendo dominado pelas trevas e que poderia acontecer de ele próprio se tornar o gatilho que ressuscitaria Apsu, por isso ele se preparou para o caso de seu poder não ser o suficiente. Após eu ter pulado na escuridão, ele me prendeu de forma que não seria consumido por ela. Se alguém o superasse, conseguiria me alcançar com a luz da esperança”, diz o Seiya.

Ou seja, foi tudo parte do plano. Tanto do cavaleiro quanto do vilão.

Totalmente dominado por Apsu, Kouga não tem consciência do que faz e começa a atacar o Seiya. Ele até tenta argumentar, mas também não consegue. Ao ver que nada adianta, finalmente Seiya resolve atacar. Adivinha o que vem a seguir?
“METEOOORO DE PÉGASO!” :D

O golpe é tremendo, mas Apsu continua brincando. Tudo porque o cavaleiro de ouro ainda não está 100% após ficar preso nas trevas.

Finalmente a Yuna resolve ajudar, mesmo com as marcas das trevas crescendo cada vez mais. Com um grito e uma enorme explosão do cosmo, a amazona faz Marte tremer. Isso é o suficiente para chamar a atenção de Apsu. “Athena e Seiya são as pessoas que te protegeram e te criaram! Você não veio até aqui porque queria salvar Athena? Não foi pra isso que começou sua viagem? Lembre-se, Kouga!”

“Kouga conseguiu uma boa companheira”, diz o Seiya. Vdd, Pégaso. Yuna <3.

Os dois cavaleiros então queimam o cosmo e juntam os poderes – enquanto as marcas das trevas crescem ainda mais. Não dá certo. Apsu fere Yuna gravemente mais uma vez.

Seiya mais uma vez argumenta, pede que Kouga supere as trevas de Apsu. Não adianta. Por uma última vez, com as últimas forças, Seiya ataca. Pela primeira vez, Seiya consegue ferir o inimigo! Kouga grita! É como se Apsu estivesse saindo do corpo dele.

Finalmente o Kouga consegue um pouco de consciência. É a brecha para superar as trevas. “Não vou perder para a escuridão”, diz. Sem pensar duas vezes, Yuna pula e abraça o amigo. “Você não pode se render ao Apsu! Você é um cavaleiro de luz, Kouga de Pégaso! Acredite na sua luz”.

Este é, sem dúvida, um dos momentos mais emocionante EM TUDO que já foi visto em Cavaleiros do Zodíaco.

Uma explosão. A armadua de Pégaso se desfaz. Kouga está livre de Apsu!

A luta final

Kouga, totalmente sem armadura, vê os amigos, Seiya e Athena totalmente detonados e derrotados. O único que diz algo é o Souma: “Dogra… Seu idiota”.

Só que Apsu ressurge como uma forte energia e leva Athena.

“Pule naquela escuridão! Você pode pular na escuridão de Apsu!”, diz o Seiya que… MANDA PARA O KOUGA A ARMADURA DE OURO DE SAGITÁRIO!

KOUGA VESTINDO A ARMADURA DE OURO DE SAGITÁRIO11!!1!111!!11!!!!!!111!!

Afinal, Seiya está totalmente detonado. Ele não tem como derrotar Apsu. Isso cabe ao Kouga.

Kouga pula na escuridão e ressurge em um lugar dominado pelas trevas. Lá vemos finalmente a verdadeira face de Apsu!

E aí acaba o episódio!

Antes de fechar o relato, apenas uma consideração: a atitude de Seiya de enviar a armadura de Sagitário para o Kouga apenas mostra que, no final das contas, ele não se vê propriamente como O cavaleiro de ouro de Sagitário. Este posto ainda é de Aioros, o homem que deu a vida para salvar Athena. Na realidade, esta armadura é muito mais como algo que deve ser sempre utilizado para proteger a Athena, seja quem for que a estiver trajando. Foi assim com Seiya e será assim com Kouga — ao menos até o próximo episódio.

E a segunda temporada acaba agora, no fim de semana. Apenas lembrando que a terceira já está confirmada, incluindo novas armaduras e um novo estilo de animação.

Você já tá seguindo o Judão no Twitter, Facebook, Google+ e Tumblr?! Pois deveria. ;D