A subida das escadarias das Doze Casas do Zodíaco começou. E a nova geração dos defensores de Athena precisa percorrê-las em 12 horas, caso contrário a Terra será destruída.

Assim continua a segunda temporada de Os Cavaleiros do Zodíaco – Ômega. No 32º episódio temos o final da luta entre Kouga de Pégaso e Harbinger de Touro, além do encontro de Yuna de Águia com o novo cavaleiro de Câncer!

Faltam 11 horas e 16 minutos para salvar a Terra!

A volta dos Mortos-Vivos

Por todo o mundo, a escuridão vão se ampliando, arvores e plantas morrendo. Yuna, que caiu logo em frente a casa de Câncer após o golpe de Harbinger, entra no lugar. Lá dentro é o mesmo esquema das casas anteriores: parece existir todo um mundo vivo, com plantas, mar…

Quem a recebe é o cavaleiro protetor da casa de Câncer, Schiller de Câncer!

E eu não entendi essa “meia máscara” dele. Parece que veio quebrada de fábrica. :D

Claro que quando as coisas iam ficar legais, eles iam cortar. Vemos Kouga na casa de Touro mais uma vez, totalmente cansado e arrebentado pela luta contra o cavaleiro de ouro. Surpreso pela resistência do adversário, Harbinger FRATURA o joelho de Pégaso. “Deixei ouvir logo seu coração quebrando. Eu até tirei aquele grupo barulhento para aproveitar melhor esse som”, diz o inimigo. Foi por isso, então, que ele jogou todo mundo longe? Hm.

Em Câncer, a luta da Yuna está prestes a começar. Ela até tenta atacar, mas o cavaleiro de ouro defende o golpe. “Esperava que tivesse alguma qualidade por conseguir chegar até aqui, mas vejo que está no mesmo nível dos cavaleiros de bronze. Vocês são lixo diante de nós”, diz Schiller. É, Caranguejo, a habilidade dela aí é galopar em chifres voadores. Ao menos por enquanto…

Ao ver a Yuna no chão (ou sentir o sofrimento do Kouga ou do Ryuho, sei lá), Schiller sente uma vida se esvaindo. “O cheiro da morte é tão bom”. Como esses cavaleiros de ouro estão com os sentidos aguçados, né gente?

Ao ver que a amazona de Água não vai desistir, Câncer usa o poder que tem não para atacar, mas para, literalmente, fazer os mortos se levantarem. Serão eles, The Walking Dead, que vão lutar contra ela. “Esses são aqueles que matei. São corpos que perderam suas almas, são minhas marionetes”, diz o cavaleiro de ouro. Yuna, ao ver os “novos” inimigos, fica sem ação – mas não por muito tempo. Com um golpe, ela joga todos longe. Só que como estão todos mortos, nem adianta muito ficar atacando. Eles vão sempre levantar.

Por que não tenta logo um tiro na cabeça deles todos? :D

Só que aí vem a “cereja do bolo”: dois caixões abrem. São as amigas da Yuna em Palaestra, Komachi e Alne! Como bater nas próprias amigas?

Opa, quer dizer que elas morreram? Bom, quase.

Na real, Yuna as tinha visto dentro da Torre de Babel, lembra? Câncer conta que aquilo, o Tumm Squeeze, é uma técnica dele para sugar o cosmo dos adversário. Quem fica preso lá pode ter o corpo controlado pelo cavaleiro de ouro.

Ao perceber que ele tinha acertado ao “ressuscitar” as duas meninas, Schiller faz com que todos os outros guerreiros mortos caiam, dando mais força para elas. Yuna apenas desvia.

Para, literalmente, fechar o caixão, Câncer usa as duas para atacar Yuna com um golpe que traz todo o odor e o horror da morte. Deve ser tipo ir ao cemitério, né?

Ao ver a amazona de Águia praticamente derrotada, Schiller fica se gabando da técnica que criou em Babel com a luz de Athena. Ainda assim, os cavaleiros lá presos não estão mortos. Ainda. Isso dá força para a Yuna levantar. Há uma chance para as amigas dela e todos os outros. Mas… Como enfrentá-los?

Coração inquebrável

Na casa de Touro, Kouga vai se levantando pela milionésima vez. O Harbinger continua na esperança de fazer o coração do Pégaso quebrar. Coitado. Pensei que ele tinha visto Os Cavaleiros do Zodíaco na Manchete, mas pelo jeito não tinha TV na infância triste dele no Brasil.

“Eu quebrei seus ossos e ambos os seus braços, é impossível tentar levantar seu peso com eles”, fiz dizendo o Touro. Pode até ser impossível, mas o Kouga é melhor até que o Primo Desossado, da A Vaca & o Frango. Com o cosmo queimando até o limite e com muita força de vontade, Pégaso volta a atacar. “METEORO DE PÉGASO!”. BOUA! :D

A resposta do Touro, claro, é o Greatest Horn! A disputa de poder entre os dois é grande, fazendo com que o Kouga caia ATRÁS de Harbinger, perto da saída da casa. Por outro lado, Touro também sofre com o golpe do adversário. “Ele conseguiu fazer meu joelho tocar no chão”, diz ele, que passa a ver o Pégaso saindo da casa. “O seu coração não está destruído. Ele está determinado a salvar seus amigos. Interessante, Pégaso. Vá! Torne-se mas forte! Quebrarei seu coração quando você tiver chegado ao seu estado mais forte”, disse Harbinger.

Típico de brasileiro. Vê que tá começando a se foder, desiste e ainda solta uma só pra ficar por cima.

Like a zombie, Kouga finalmente sai da casa de Touro. Faltam mais dez, Pégaso!

O inferno vem aí…

Em Câncer, o cavaleiro protetor da casa percebe que a batalha em Touro acabou. Yuna, que até aquela hora tava enrolada com os mortos-vivos, também percebe que Kouga finalmente venceu Harbinger. Usando a cabeça, a amazona de Águia cria um plano para atrair o adversário para uma luta de verdade. Ele o deixa atacar e, quando tem uma abertura, dá um daqueles mega chutes no cavaleiro de ouro. Não era para machucá-lo, como o próprio percebe, mas sim para que ele ficasse com raiva e parasse de lutar por meio dos cavaleiros tombados.

Após ficar dizendo que “cavaleiros de bronze nunca vencerão os de ouro” e ouvir que a Yuna “irá salvar as amigas”, Schiller se rende ao mais novo clichê: contar um pouco mais do passado dele próprio. A ideia de explorar o passado dos inimigos é ótima, mas se for usada SEMPRE vira lugar comum, né?

Enquanto limpa a mão com um lenço (QUARTO clichê em dois minutos), Câncer revela que foi uma criança que sofreu muito com a guerra, perdendo a família e toda a vila. No que sobrou de lá, sobreviveu tomando água suja e respirando aquele ar com o odor da morte. Porém, ele foi percebendo que tirar a vida dos outros poderia garantir o futuro da dele próprio. “A vida consiste da morte”, define Schiller. Após descobrir a existência dos cavaleiros, ele treinou até ser escolhido por Marte para defender a casa de Câncer.

É, de certa forma, uma história com começo parecido com a de Yuna. Ela também sofreu com a guerra. Ela também perdeu os pais. Ela também viu os amigos e vizinhos morrerem. Ainda assim, Yuna se tornou uma amazona por outros motivos. Não foi para promover mais mortes, mas sim para evitar que elas acontecessem.

Após todo esse relado e uma risada maligna, o cavaleiro de ouro percebe que é hora de acabar de vez com a inimiga. Assim, ele para de brincar. “Sekishiki Meikai Ha”, grita o cavaleiro. Não entendeu? Bom, você deve conhecer o golpe pelo nome que recebeu na nossa dublagem: ONDAS DO INFERNO!

Aí é aquilo que você já sabe: Yuna de Águia é jogada lá no pé da colina do Yomotsu, a passagem para o mundo dos mortos. E AGORA? :D

Assim acaba o episódio!

Você já tá seguindo o Judão no Twitter, Facebook, Google+ e Tumblr?! Pois deveria. ;D