Parece que é regra: todo personagem de história em quadrinhos que consegue a fama também acaba estrelando o seu próprio desenho animado. No caso do Homem-Aranha, foram várias as versões animadas nesses 50 anos de história.

Artigo originalmente publicado em 01 de Maio de 2007

Homem-Aranha (Spider-Man, 1967)




O primeiro desenho do Aranha estreou em 9 de Setembro de 1967, quando o personagem já conquistava um bom sucesso entre o público das HQs. Quem cuidou da produção foi a Gantray-Lawrance Animation, do Canadá, que não tinha muita verba para produzir o show. O resultado foi uma animação de qualidade inferior à  do Quarteto Fantástico, que foi feita na mesma época pela famosa Hanna-Barbera.

Para se ter uma idéia do baixo orçamento, o Amigão da Vizinhança tinha teias desenhadas no uniforme apenas na máscara, luvas e botas, diminuindo assim os custos. Os roteiros eram bem mais infantis, como convém a um cartoon das manhãs de sábado, além de focarem pouco a vida de Peter Parker em casa e na universidade.

O programa fez muito sucesso na época e ganhou até uma nova versão do tema de abertura feita pelos Ramones, gravada em 1995 para o CD Saturday Morning Cartoons” Greatest Hits.

O desenho foi cancelado em 1970, contabilizando um total de 52 episódios, cada um contendo duas histórias.

Uma curiosidade: apesar de ser um herói teen, o Homem-Aranha tinha nessa série uma voz digna de um senhor de 40 anos.

Homem-Aranha (Spider-Man, 1981)




Depois de 11 anos e três séries com atores reais, o Homem-Aranha voltou aos desenhos animados. O programa foi o primeiro criado pela Marvel Productions, que havia nascido dos restos da DePatie-Freleng Enterprises.

O detalhe interessante sobre este programa é que, por pedido dos pais e da rede de TV, o Homem-Aranha era proibido de dar o primeiro golpe nas brigas. Outra curiosidade é que o Duende Verde não era simplesmente um homem com poderes que se fantasiava de duende, mas sim uma pessoa que se transformava realmente em um.

O desenho animado teve um total de 26 episódios e apenas uma temporada. Quem está acima da casa dos 25 anos deve lembrar que o programa chegou a passar na Rede Globo por um tempo.

Homem-Aranha e Seus Incríveis Amigos (Spider-Man and His Amazing Friends, 1981)




Ainda em 1981 o Cabeça de Teia ganhou um novo desenho animado, que era nada menos que uma continuação do anterior. Só que dessa vez Peter Parker ganhava o auxílio de dois novos amigos, os mutantes Homem de Gelo e Estrela de Fogo.

A heroína, aliás, foi criada exclusivamente para o show, que foi proibido de usar o Tocha Humana por causa de problemas contratuais. O sucesso da personagem foi tanto que ela acabou usada nos quadrinhos e batizada aqui no Brasil de Flama – depois, quando a série foi redublada para ser exibido na Fox Kids, foi adotado o mesmo nome das HQs para a heroína na série animada.

Foi também nesse desenho que a versão moderna dos X-Men fizeram a estréia na televisão, aparecendo em dois dos 24 episódios da série.

Homem-Aranha (Spider-Man: The Animated Series, 1994)




Depois de mais 11 anos de ausência, o Homem-Aranha voltou à  tela pequena nesta que é considerada uma das melhores adaptações do herói aracnídeo. Nela somos apresentados a um Peter Parker com 19 anos, que está no primeiro ano da faculdade na Empire State University e já possuí os famosos poderes de aranha há algum tempo.

Com ótimos enredos, animação bem feita e trechos em 3D, a série fez grande sucesso nos Estados Unidos e no Brasil. Apesar dos bons roteiros, os produtores enfrentaram sérios problemas de censura, que proibiam o uso de derivados do verbo morrer, armas de fogo e até a efetiva morte de algum personagem. Para contornar esses problemas, os personagens da série se valiam de armas-laser e Gwen Stacy não foi utilizada, já que estava condenada à morte.

Quem também nunca apareceu na série foi o Homem-Areia, um dos principais vilões nos quadrinhos e que estava guardado para um futuro filme do Cabeça-de-Teia. Foi pelo mesmo motivo que o Duende Verde demorou um bom tempo para surgir no desenho.

Spider-Man: The Animated Series durou até janeiro de 1998, quando foi cancelado. A série nunca teve fim, já que jamais foi revelado como Madame Teia levou Peter Parker ao reencontro de Mary Jane, que estava desaparecida.

Todos os 65 episódios tiveram como tema de abertura uma música composta e tocada por Joe Perry, do Aerosmith.

Homem-Aranha: Ação Sem Limites (Spider-Man Unlimited, 1999)




Talvez esta tenha sido o maior fracasso do Homem-Aranha no universo dos desenhos animados. Criada para ser, implicitamente, uma continuação da série anterior, em Ação Sem Limites vemos Peter Parker de volta com sua vida normal e aos braços de Mary Jane. No entanto, o Amigão da Vizinhança é levado para a Contra-Terra, uma duplicata exata do nosso mundo em outro universo, lugar no qual passa a viver novas aventuras.

Além de ser jogado em mundo sem seus principais personagens de apoio, o Aranha ganhou um novo e moderno uniforme, com direito a até uma “mini-capa” feita de teias. Durante toda a série o personagem enfrentou um único grande vilão, o Alto Evolucionário, que mandava na Contra-Terra, além de ficar frente a frente com Venom e Carnificina (só que sem suas partes humanas, Eddie Brock e Cletus Kasady) e versões bestiais de seus principais vilões.

O desenho não emplacou e nunca foi concluído, ficando com apenas 13 episódios. E um detalhe curioso: o novo uniforme do Escalador de Paredes nessa série era feito de nanotecnologia, a mesma que será a base da nova armadura de Tony Stark em Homemm de Ferro 3.

Homem-Aranha (Spider-Man: The New Animated Series, 2003)




Com o grande sucesso do Homem-Aranha nos cinemas, a Marvel resolveu mais uma vez voltar as suas atenções para a televisão. Mas agora a coisa seria diferente: a nova série foi toda produzida em CGI e renderizada em cell-shading, ou seja, foi feita em computador, mas mantendo uma semelhança com os desenhos tradicionais.

A produção ficou a cargo da Mainframe Entertaiment e teve a produção executiva de Brian Michael Bendis, que trabalhou com o Aranha nos quadrinhos em várias oportunidades e criou a versão Ultimate do herói. A série foi originalmente veiculada na MTV nos EUA e na Nickelodeon no Brasil.

Apesar do moderno estilo de animação e se basear na mesma continuidade dos filmes, o desenho não fez muito sucesso entre a crítica. Foram ao ar apenas 13 episódios, os quais constituem a primeira e única temporada do show.

O ponto interessante do programa está na dublagem original, feita por pessoas conhecidas no meio da cultura pop. Um exemplo é o cantor Robbie Zombie, que fez a voz do vilão Lagarto.

Espetacular Homem-Aranha (Spectacular Spider-Man, 2008)




Após Homem-Aranha 3, a Marvel encomendou da Culver Entertainment a produção de um novo desenho animado do Escalador de Paredes. Assim, foram escalados os produtores e roteiristas Greg Weisman e Victor Cook para criar uma nova produção, que seria veiculada no canal estadunidense The CW.

A partir daí, a dupla buscou influências nas primeiras HQs do Homem-Aranha, colocando novamente o personagem como um adolescente de 16 anos, mas que já era o herói aracnídeo há algum tempo. Ou seja, sem tanto o peso da morte do tio Ben.

Por isso, o desenho apostou nos traços do ilustrador Sean Galloway, cartunizados assim como eram os traços do Steve Ditko nos anos 60.

Apesar do sucesso, das tiradas interessantes no roteiro e a eventual mistura com elementos do Universo Ultimate Marvel, a série acabou cancelada após duas temporadas e 26 episódios. Infelizmente a Marvel foi comprada pela Disney, o que inviabilizava um desenho animado produzido por terceiros e que era ainda veiculado no canal do concorrente. Mesmo a segunda temporada do programa tendo ido ao ar no Disney XD não o salvou do limbo.

Ultimate Spider-Man (2012)



Série morta, série posta. Se Spectacular Spider-Man foi cancelada apenas por questões contratuais, a Marvel tinha motivos suficientes para criar uma nova série animada do Cabeça-de-Teia o mais rápido possível. Foi isso que foi feito e, agora em 2012, a Disney XD estadunidense trouxe a estreia de Ultimate Spider-Man.

Como o nome entrega, a grande inspiração são as HQs do Homem-Aranha Ultimate, publicadas desde 2000 com roteiros de Brian Michael Bendis – que também é um dos roteiristas da nova série. Há ainda o envolvimento do quarteto Man of Action, os criadores do Ben 10, formado por Steven T. Seagle, Joe Kelly, Joe Casey e Ducan Rouleau, além de Paul Dini, um dos responsáveis pelo sucesso de Batman: The Animated Series e roteirista do He-Man nos anos 80.

Assim como nas HQs de Bendis, o Aranha desta série é um adolescente inexperiente, que se vê às voltas com grandes vilões e a necessidade de treinamento, que é imposta pela S.H.I.E.L.D. A voz de Peter Parker é feita por Drake Bell, da série Drake & Josh. Outro dublador famoso é J.K. Simmons, que retorna para o papel de J.J. Jameson. Ah, sim: há um personagem chamado Stan, o Zelador, que é a cara do criador do Homem-Aranha e, claro, dublado pelo próprio Stan Lee.

Nos EUA, Ultimate Spider-Man estreou no dia 1º de abril e já teve, ao todo, 11 episódios. No total, 26 deverão ir ao ar nesta primeira temporada. Não há, ainda, previsão de estreia do desenho no Brasil.

Você já tá seguindo o Judão no Twitter, Facebook, Google+ e Tumblr?! Pois deveria. ;D