Oi, internautas.

Pela segunda vez na longa história desta coluna farei um review de um filme onanista, embora não-pornô. Mas como há LULz e mulheres peladas, encaixa-se perfeitamente na premissa desta merda.

A primeira foi a coluna de estréia, com aquele filme lazarento das Suicide Girls. E hoje trazemos a vocês este épico do fap de ação galhofa conhecido como Nude Nuns With Big Guns.

Foi lançado em 2010, e até já falamos dele por aqui quando saiu o trailer e etc. Foi, inclusive, um dos textos mais lidos do ano no Judão, o que teoricamente significa que os senhores já sabem do que se trata. Se bem que o título do filme já é suficientemente auto-explicativo até para quem tem um ou oito parafusos a menos.

Então que comecem as profanações!

Seis menos um = BOOM <3

Deserto de Seiláonde. Um ônibus escrotinho como aqueles escolares, mas negro como o coração d’O Grinch, está rumando em velocidade máxima (60km/h) a algum lugar. Dentro dele vão poucas pessoas, que vão sendo apresentadas durante os créditos iniciais: Um padre tiozão, o motorista – um padre bem mais novo, mas igualmente feio – e três freiras. Estariam indo a Las Vegas para um duelo musical Glee Style contra a equipe de Deloris?

Dificilmente, pois as imagens de cada uma dessas pessoas são intercaladas com flashes de suas verdadeiras atividades:

Tráfico de dorgas, mano.

Tráfico de dorgas, mano.

Há quem diga que o padre tiozão obrigue as freiras empacotarem a coca peladinhas para evitar eventuais roubos. Mas a partir do momento em que você nota que elas poderiam esconder algum pacotinho ali no chapéu (?) OU que eles poderiam simplesmente revistá-las ao final do expediente, fica claro que a medida é adotada apenas pelo santificado troll onanista, amém.

Dois motoqueiros mal-encarados estão bloqueando a estada logo a frente, com suas motos posicionadas de fianco na via: Um cabeludo cheio dos trejeitos Antonio Banderas way of atuação – sorrisinhos marotos, cabecinha balançando e tal. O outro é um negão bombado, que traja apenas coturno, calça jeans e um colete. Este aqui carrega em sua face o tempo todo aquele olhar de “seu traseiro não será perdoado”. O ônibus chega e para a alguns metros dos dois.

Enquanto o padre motorista recolhe as maletas com os pacotes de coca, o padre tiozão desce, cumprimenta o Zorro do Paraguai e recebe um pacotão recheado de dinheiro. LIKE A DÍZIMO. Toninho Bandeirola bota as três malas no chão para conferir a mercadoria. Primeira mala, dois pacotes, check. Segunda mala, dois pacotes, check. Terceira, OPA, tá faltando um! Todos fica com olhar marrento.

Aqui rola um detalhe interessante, que denota total egocentrismo da Freak Show Entertainment. Eles dão um jeitinho de marcar território sempre que possível, inserindo no filme das maneiras mais criativas o logotipo da produtora. Primeiro na apresentação do padre tiozão:

Mesmo fenômeno observado na apresentação do Tony Flag from Guadalajara:

Pipipipipipipipipipi

Pipipipipipipipipipi

A mesma caveirinha de chifres é o logotipo da gangue de Chavo, LOS MUERTOS. Manja aqueles sites que copiam imagens de outros sites e botam uma marca d’água bem no meio da foto? Então, nada a ver, mas achei válido o rant.

Munido de sua pistola, Chavo sobe no veículo e bota o terror nas freiras, pois quer saber qual foi a larápia estúpida que o roubou. E a culpada é de fato a estupidez encarnada, e comprovou isso de diversas maneiras ao longo da vida. Como se fazer parte do clero já não fosse o suficiente, ela rouba UM PACOTÃO DE COCAÍNA numa negociata de SEIS PACOTES. Nigga, please.

E aqui fica comprovado que elas embalarem a parada sem roupas é apenas troll, porque se ela conseguiu desviar um sexto da encomenda, ou a revista é escrota ou sabe-se lá onde ela enfiou o embrulho.

Chavo soca uma bala na venta da primeira, só pra mostrar que não tá de brincadeira. Quando ele tá quase mandando a segunda para o vinagre, a terceira tenta se esgueirar pela porta dos fundos. Mas Chavo a vê.

Numa tentativa desesperada de reparar a cagada, a idiota retira o pacote de algum bolso do hábito e mostra ao bandido. Ele não pega de volta antes para depois meter bala na safada. Ele mostra que é outro gênio e lasca um pipoco no meio da cocaína, mandando a ladra para os pacovás ao mesmo tempo em que arruina sua valiosa farinha. DUH.

Ele leva aquela segunda freirinha embora para comer mais tarde. Final do primeiro ato.

Terror em Titty Flicker

Padre motorista anda por um bairro sujo numa noite escura, e entra num estabelecimento suspeito portando outra daquelas maletuxas. O lugar é esse:

O BALANÇADOR DE TETAS, amigo.

O BALANÇADOR DE TETAS, amigo.

O recepcionista é Chavo, que abre a maleta e vê mais dois pacotes de coca. Falta de criatividade, povo. Poderiam invovar e mandar os dois embrulhos dentro de, sei lá, uma caixa de Panetone. Chavinho fica feliz com o presente enviado por Padre Bernardo, e deixa Padre motorista escolher uma das putas da casa para satisfazer seu penes.

Mas o sacerdote não quer nenhuma delas, quer uma em especial: Aquela freira raptada por Chavo lá do ônibus. Seria uma tentativa de resgate? Ou ele sempre quis empurrar a janta na cocotinha e só agora viu a oportunidade? Ele paga o triplo do preço de tabela pela pepeca sagrada e sobe para um quarto.

Aí vemos a preparação da moça para o abate. Ela já tá deitada muitoloka de tóxicos numa cama, com um velhote cabeludo estilo Pajé ao lado. Ele nega o pedido de Chavo de dopar ainda mais a moça, pois não sabe se ela aguentaria outra dose. O recepcionista-motoqueiro-traficante-pimp manda o idoso se foder e aplica ele mesmo mais uma injeção.

Corta pro quarto do amor, ela tá sentada na cama de olhinhos virados, com carinha de quem tá gostando demais. Padre motorista entra já nu e ereto, mas em vez de comer ou resgatar a freira como tínhamos imaginado, ele começa a descer o cacete na fadia. Soca a cabeça dela no espelho, tapa na cara, soco no olho e tudo mais.

Chavo ouve a bagunça, cata um taco de beisebol, adentra o ambiente e pega o santo homem no pulo. Ele grita “Não importa o quanto você pagou, ninguém danifica a mercadoria!” Dito isso, umas sete ou oito tacadas são desferidas no meio da testa do rapazote de batina, que permanece no chão com a cabeça esfarelada.

A gataloka se arrasta até o corredor do zonão e desmaia na frente do Pajé. Chavo manda o velho se livrar da cocota e eles botam o pé na estrada.

O ancião aplicador de drogas nas tetéia de Chavo leva a Irmã ainda chapadassa para o seu cafofo no meio do deserto, e aplica uma injeção de sei lá que diabo que a desperta na hora. Já restabelecida, ela toma seu ovomaltino sentadinha na cama enquanto conta ao seu salvador uma visão que teve. Ela falou com Deus, que lhe atribuiu uma missão sagrada: Exterminar a todos os pecadores, para que ela possa se purificar e ganhar a redenção.

Agora pensa cá comigo: Você acaba de resgatar do puteiro mais lazarento do Estado uma freira sequestrada das entranhas de um esquema envolvendo o alto clero e tráfico pesado de drogas. A mulher tá numa brisa farinácea residual que a faz sorrir e olhar tortinho o tempo todo, dizendo que falou com Deus e chegou à conclusão que precisa se vingar, mandando todo mundo para o inferno.

O que você faz?

a) A desacorda com um murro no queixo, passa na frente dum sanatório e a deixa na porta;
b) Acorrenta a biatch no pé da cama;
c) Aproveita o momento de felicidade da maluca e tenta descolar uma trepadinha;
d) Ignora e espera para ver se ela melhora
e) Pega dois revólveres carregados e dá na mão da mulher.

Boa, campeão.

Boa, campeão.

“Se você vai fazer o trabalho do Senhor, precisa das ferramenteas do Senhor”, diz o curandeiro. Assim que ele se vira, ela diz que seu primeiro teste imposto por Deus é não ser clemente mesmo com quem lhe demonstrou clemência. Ele olha assustado e leva um tiro na testa, para largar a mão de ser bocó e tornar-se a primeira vítima da fênix gostosinha do Senhor, renascida das cinzas das dorgas para chutar cus:

WOHO, ARRASÔ!

WOHO, ARRASÔ!

Um ano depois…

Um Cardeal está tranquilão em seu templo tomando um vinho tinto e comendo hóstia, que juntamente com menininhos formam a dieta básica de um religioso. É o cabeça da organização da Sagrada Farinha, conhecido como The Padre. O telefone toca. Não deve ser importante, pois somos teleportados para…

A igreja do Carlinhos!

A igreja do Carlinhos!

Um padre com um ar de pingaiada finaliza uma negociação com um membro do Los Muertos, e eu duvido que sejam jujubas. Quando o meliante vai saindo, chega uma freirinha raquítica feia de dar dó – a Irmã Angelina – que entra no confessionário. Padre Carlitos vai lá e ouve o relato da magricela.

No dia anterior ela estava com meia dúzia de amigas peladas embalando uma cocainazinha para Padre Bernardo, quando a morte em pessoa chega para acertar as contas. Irmã Sarah chega sem pedir licença, mete bala na bandidagem que se reunia com o Padre. No tiroteio várias freiras viram queijo suíço no fogo cruzado, e no final sobrevivem apenas Angelina e o Padre. Após conseguir facilmente extrair do velhote o nome de Carlitos, Sarah o manda para o colo do capeta com quatro tiros: Um em cada ponto tocado pelas mãos no sinal da cruz. FUCK YEAH!

Nisso Carlitos já se cagou todo ali na outra cabine, fica puto e vai pra lá ver quem é essa maldita que veio perturbar sua calma, mas ela pirulitou-se. Ele liga para o Cardeal para pedir proteção para seu traseiAHHH, TÁÁ então era ele no telefone.

The Padre diz que tatu do sobcontrole, a assassina desconhecida sabe o nome daquele que ele deveria proteger (já que Carlitos cede parte dos lucros ao Cardeal por isso), mas dá nada não e você está lindo. E desliga na cara do subalterno.

Carlito fica de mimimi com um outro sacerdote ali do lado, diz que o dele tá na reta e ninguém tá fazendo nada. Pausei o filme nesse frame, com a legenda dizendo exatamente o seguinte:

O que acontece com o mundo se nem um homem de Deus pode fazer seu trabalho?

O que acontece com o mundo se nem um homem de Deus pode fazer seu trabalho?

Aqui em Nude Nuns With Big Guns nos é mostrado de maneira caricata um clérigo segurando um montão de grana, reclamando sobre quando dificultam seu ganho fácil de dinheiro em seu “divino trabalho”.

Ontem sentei na frente da tv para jantar, e tava passando um culto de uma dessas igrejas aí. Prontamente fui trocar de canal, mas esperei um pouco quando vi um número de conta bancária ali na parte de baixo da tela, enquanto o Pastor explicava como fazer um depósito e tornar-se um “Patrocinador”.

O fiel faz um depósito, leva o comprovante ao templo e recebe o presente do mês. E segundo o picareta,

“Quem tem Deus no coração e ainda não é um patrocinador, está caminhando fora da vontade de Deus e do Senhor Jesus Cristo.”

História real, vista em horário nobre na tv aberta: Um famoso Pastor dizendo com todas as letras que se você não enche seus fiofós de grana, Deus não gosta de você. Agora olhe novamente a imagem acima, teoricamente fictícia.

Just sayin’.

Chavo del Posto

Agora vamos conhecer mais um negócio desse grande empreendedor do deserto e pau pra toda obra que Chavo é: Além de traficante, recepcionista, cafetão, segurança e rebatedor, o marginal é também o dono de uma oficina mecânica/posto de gasolina. É mequetrefe, sujo, caindo aos pedaços, também tem sua freguesia satisfeita.

Nesse carango aí, por exemplo, há um casal com uma filha adolescente no banco de trás, e papai parou para abastecer o tanque. Apareceu o primeiro funcionário, que achou um buraco no radiador, aí veio o segundo, que ameaçou abrir um buraco na garganta do homem caso ele tentasse impedir o funcionário nº3 de alargar um pouquinho o buraco de sua esposa. Um velho conhecido nosso, o negão do início do filme, conhecido como:

Você é o próximo, leitor do judão.

Você é o próximo, leitor do judão.

Kickstand é a tradução do nome daquele pezinho que sustenta motocicletas estacionadas. No linguajar das quebrada gringa, um sujeito é assim chamado quando seu caralho é tão ridiculamente grande que ele poderia se inclinar para frente e virar um tripé.

Ou seja, mamãe está passando por maus bocados. Mas vamos falar de coisa boa: Toca o telefone do escritório de Chavo (que chega de motoca no meio do rolo a tempo de dar um tiro na nuca do papai de família): É o Cardeal, pedindo ajuda sobre a matadora de padres que tá bombando na cidade.

Ele recebe o chamado divino e se vai, mas não perde a oportunidade de mostrar quem manda na parada, apontando a arma para a cabeça de Kick-Stand após se ofender com uma brincadeirinha. Só pra botar um terror extra, ele aponta a arma para a outra cabeça do crioulo, mas eu acho que ele precisaria de uma arma maior para machucar essa aí. Agora vamos ao Estourador de Cerejas:

Que Dr. Rey abençoe esta casa de prazeres mundanos – também administradas por Los Muertos Inc. – pois até onde me lembro, é a primeira cena onde vemos gostosas realmente sensacionais sensualizando e chacoalhando as tufas. Uma delas, inclusive, tira uma chinfra ali no balcão do bar.

Maldito sapato!

Maldito sapato!

Chavo chega, aponta a arma para a cabeça (o que mais faria, afinal?) do dorminhoco bigodudo para acordá-lo, bota alguns capangas de guarda na porta e vão para os fundos discutir estratégias para combater a justiceira.

Carlitos tomando en la cumbia

Irmã Sarah dorme inquieta no que parece ser o quarto de um hotel de 0,2 estrelas. Ela tem pesadelos com o dia em que foi pega dando uns amassos na irmã Angelina lá no convento, e foi punida com injeções de heroína pelo Padre AND pela Madre Magda: Uma gorda. Conheço gente que pagaria uma grana para receber esse castigo.

Ela acorda com alguém batendo na porta – é Angelina, que acaba de voltar da Igreja de Carlitos, e avisa à amiga que o próximo alvo já tá se cagando de medo.

Angelina é uma senhorinha so bem, embora seja uma freira lésbica que empacota cocaína. Ela não deseja para as duas essa vida de matanças nas casas Do Senhor, e as duas discutem amigavelmente sobre a missão divina de purificação que foi destinada a Sarah. Para que Angelina ficasse calminha e calasse a porra da matraca, Sarah resolve dar-lhe um banho de banheira:

E depois entra na água, como os senhores devem ter notado.

Elas seguem conversando, Angelina diz que sentiu medo que a amiga tivesse morrido após o incidente no ônibus. Aí Sarah diz que de fato morreu, mas renasceu PELA GRASSA DO NOÇO SR, e um anjo a guiou de volta à vida com sua nova missão. Quando eu tou quase dormindo com esse papo chato, o climão manero toma conta do ambiente e as duas vão para a cama botar suas Santas Aracnídeas para tirar um racha:

Assim que termina de pregar a rola em Angie, Sarita veste o hábito, pega seu trabuco de cano duplo serrado e sai para brincar com Carlitos na noite fria.

Lá na igrejita que está prestes a receber a visita, Carlitos conversa com seu amigo diácono, que ainda está com o maço de dólares na mão. Ele é chamado, o portador da grana se perocupa, mas Carlitos, munido de sua Bíblia, diz que o livro sagrado é a única proteção que ele precisa neste mundo cão.

Ele entra no confessionário, onde Sarah o espera na cabine do pecador. Ela diz que está prestes a pecar, Carlota saca quem é e abre sua Bíblia em busca da palavra do senhor, que é o apelido da arma que ele guarda lá dentro num buraco escavado nas páginas.

E aqui, entre todas as blasfêmias e profanações presentes no filme até o momento, é que vemos o que em minha opinião é o ápice do que irritaria as tiazinhas religiosas do planeta: O Padre dá o primeiro tiro, erra, e recebe de volta através da fina divisória de madeira um tiro à queima-roupra de uma shotgun.

Entenderam a grandeza da coisa? É um padre traficante que tira um revólver que guardou dentro da Bíblia e troca tiros dentro do confessionário com uma freira lésbica ex-empacotadora de coca, ex-prostituta de luxo e atual matadora de sacerdotes corruptos.

Todos nós vamos para o inferno só por rir disso, amigos. Vão se conformando.

Como insulto final, o padre contador de dinheiro – a bordo de sua cadeira de rodas – acerta um tiro na anca da justiceira. Mas ela, com sua mira mágica, acerta outro bem no meio da testa do velhote. Detalhe é que ele estava no altar, ela na porta de entrada.

Butch’s Motel

Sarah foge, o segundo brioco aberto pelo padre Presuntinho sangra pra caralho, e ela não pode ir até um hospital. Primeiro porque os médicos teriam que comunicar a polícia, ela acabaria contando o lero-lero da missão divina e iria parar no Juqueri. Mas o principal motivo é que nesse lugar badass não tem essa viadagem toda de tratamento médico e tal. Massucô, nenê? Se vira! E é isso o que ela faz.

Há um motel nojento localizado no bairro mais barra pesada da cidade, e é esse mesmo o local escolhido pela freira para a recuperação. Um motel que para combinar com todas as outras edificações que vimos até agora, é detonado, velho, sujo e com peitinhos à mostra em algum ambiente.

A ruivinha é Butch, a gerente.

A ruivinha é Butch, a gerente.

E ruiva fica puta por precisar parar de furunfar a gordinha para atender a hóspede, e vai para o guichê com uma cara de cu azedo. Ela vê Sarah cambaleando com uma garrafa de tequila na mão, o que a faz encarar a nova cliente como apenas uma noviça rebelde (#humor). Mas se ela tivesse visto o buraco da bala era bem capaz de querer dar uma dedada.

Sarah entra na suíte imunda e vai tomar um banho, mas como ela tá só a capa da linguiça, acaba precisando se sentar no chão do box

Bundinha de freira rs

Bundinha de freira rs

Eu acho que ela corre mais risco de vida encostando o loló a nesse chão sujo do que pelo ferimento em si. Aí ela mostra que tem mais bolas que você, onanista que está lendo isso, toma mais uns goles de cachaça e derrama um pouco na ferida. Então ela joga mais um pouco num alicate enferrujado e retira o projétil. Não contente com isso, ela esquenta uma colher – manobra aprendida com a galera das dorgas – e cauteriza a parada com o metal incandescente.

Mulé macho, sí señor!

Posto del Chavo. A marginalidade tá lá curtindo uma viagem quando o Cardeal liga e comunica a ida de Carlitos para os pacovás e requisita que eles se apresentem à igreja atacada, onde a Madre Obesa os espera. Durante a conversa o clérigo cobra o diabo da proteção armada pela qual ele paga, que não anda funcionando. Aí o bandido é genial e diz ao Religioso que tá dando merda porque eles não andam orando direito. OUCH.

Lá chegando o trio composto por Chavo, Kickstand e um bigodudinho aleatório é recepcionado por Magda. Os dois capangas ficam de guarda e Chavo vai até um corredor, onde Madre mostra os defuntos e pergunta o que ele acha. Chavito responde:

-Acho que eles estão bem mortos.

BOA! =D

Gorduchinha dá uma má notícia: A única testemunha do ocorrido é a irmã Mary. O problema é que essa bucéfala fez um voto de silêncio e não abre o bico há mais de vinte anos. Chavo pergunta, ela nada. Ele repete a pergunta, ela continua muda. Isso seria um problema para um marginal comum, mas não para Chavo, que tem um personal estupreitor a tiracolo. Tragam Kickstand!

Tripé negrito chega e mostra com quantos paus se faz uma freira idosa pular como um pogobol: Um só, mas imenso.

Ele guarda seu brinquedinho de volta nas calças, Chavo pergunta novamente e a irmã começa a cantar como um passarinho, relatando sobre a misteriosa freira de armas grandes. Dizem que quando a água bate na bunda, neguinho pula. Mas quando o neguinho bate na bunda o que pula são as palavras guardadas há duas décadas, amigo. Se ela fosse cega teria até voltado a enxergar.

Quando eles vão saindo para iniciar a caçada à freira maldita, um dos três patetas do crime mostra que é quase tão genial quanto o chefe. Quando Chavo diz que eles precisam procurar “uma freira com armas grandes”, gordito pergunta:

Você quer dizer... Que ela tem TETAS grandes!?

Você quer dizer... Que ela tem TETAS grandes!?

Eles vazam, irmã Angelina, que sabe-se lá por que caralhos aparece por aqui, escapa dos vilões, mas é capturada pela Madre Barrigón e enviada ao Titty Flicker.

Enquanto isso a turma do Chaves chega ao Cherry Popper, onde a moça com as humildes tufas retratadas abaixo jogava bilhar com a loirinha ali:

Peitos tão grandes que pagam IPTU. <3

Chavo se diverte com as gatas enquanto o gordinho acidentalmente descobre sobre a freira que havia dado entrada no Motel durante a madrugada. A moça que tava dando uns pegas na recepcionista trabalha lá, o mundo não é uma ervilha, gente?

E eu nem vou comentar nada sobre o fato da cocota tê-la reconhecido atrávés de um RETRATO FALADO que os bandidos tinham da caçadora de bundas. Jesus.

Ele liga para Butch (a ruiva do Motel) e ordenam que ela não deixe a freira sair de lá. Feito isso, vai perguntar ao chefe o próximo passo. Ele fica um pouco chateado, pois o interrompem enquanto brincava de motor de popa com a loira:

FOM FOM

FOM FOM

Ele manda trazerem a vagabunda viva. Acontece que a estúpida da ruiva, em vez de apenas deixar Sarah nanando, vai lá preencher o saco armada. Rola um xavequinho, o tesão lésbico desliga os dois neurônios que ela tem e as duas vão fornicar.

Essa freira tá pegando mais mulher que você. Pense nisso.

Essa freira tá pegando mais mulher que você. Pense nisso.

Mas claro que Sarah utiliza a situação em seu favor, rouba a arma, estoura os miolos da amiguinha e foge.

Hora do pau torá!

É aqui que as coisas começam a afunilar para o confronto final AND desfecho desta bagaça. Lá no Cherry Popper, um motoqueiro abobalhado chega saltitante contando sobre a mais nova aquisição do Titty Flicker: Uma freira sensacional que “faz sua piroca saltar pra fora das calças”. Sim, ele tá falando da irmã Angelina, a tia magricela do nariz imenso. Gosto não se discute.

Mas os El Muertos não sabem QUAL freira é, e desconfiados de que Sarah possa ter voltado ao seu antigo local de trabalho para esbagaçar uns crânios na bala após o coito, vão pra lá.

MEANWHILE in apartamentinho onde as duas religiosas tomaram banho e colaram velcro anteriormente, Sarah chega e vê que Angelina não está mais lá. E encontra o bilhete de despedida:

Meu coração não me deixa esperar mais. Rezo ao Senhor para que te salve e que nos reúna. Se não for neste mundo, então no céu lá em cima.

WOOOOHOOO! Comeu a amiga e vazou, like a PLAYER! Pena que se fodeu, quase tomou uma bimbadinha de Kickstand, apanhou da Madre Hipopótama e acabou virando vagabundinha dos brother lá no Titty Flicker, onde está prestes a conhecer a ira dos El Muertos.

Ver Sarah matar uns Cardeaizinhos não parece mais tão mal negócio agora, parece? Vaca burra.

Aí é que rola a transformação final de Irmã Sarah. Eu não compararia com a cena em que aquele tailandês filho duma égua mata a namoradinha de Rambo, fazendo-o calçar o coturno cheio de ódio e amarrar a fitinha na testa, mas é algo bem parecido.

Sarah toma outro banho de banheira toda chorosa pelo abandono da amiguinha colorida, se ajoelha perante um baú próximo a um altar cheio de velas e figuras sacras, veste um hábito totalmente branco, uma bota de couro de cano alto, alguns coldres, as duas “ferramentas do Senhor”, umas automáticas e torna-se:

A FREIRA DE BATALHA!

A FREIRA DE BATALHA!

Como é pelo menos a segunda transformação a que fofinha é submetida, talvez fosse mais adequado compará-la com, sei lá… Freeza? Sarah não sabe onde Angelina está, mas sabe onde obter a informação. Ela volta até a Igreja do Carlitos, interroga Madre Magda (que contava alegremente sua pilha de dinheiro) e em seguida a enforca com seu próprio rosário. E como era um daqueles usados na cintura (não sei o nome daquela joça), era um BEM grande. Como profanação pouca é bobagem, na saída Sarah taca fogo na Igreja e vaza para o Titty Flickers.

Antes do desfecho da história, vamos recapitular o que aconteceu SÓ no templo de Carlitos: Ameaças de morte, troca de tiros dentro do confessionário, assassinato de Padres, estupro de freira, El Muertos fazendo um lanchinho com hóstias e vinho, e pra fechar a conta uma freira morta por outra com um acessório sacro AND isso:

Espírito, Espírito! Que desce como fogo, fogo, fogo! <3

Titty Flickers. El Muertos chegam e são apresentados à nova santaputa da casa. Chavo já tinha visto Angelina anteriormente e não deu importância, mas como ela tá sempre na parada, ele desconfia que ela tem algo a ver com a história toda. O que ele faz? Interroga? Tortura? Não, leva pro quarto e vai dar uma catracada com a fadia, afinal ele tem muito amor para dar (e não comeu ninguém desde o começo do filme, like a Morph).

Pouco depois chega Sarah. Ela estaciona o carango, abre o porta-malas e tira algo de dentro de um case estojo de violão: Peças de uma parruda metralhadora, pois essas bostas nunca na história do cinema carregaram de fato um instrumento musical.

Ela encarna o Dadinho, entra no Motel/tchutcheiro e metralha TODO MUNDO, desde a recepção até o segundo pavimento. Nisso vão pro saco umas três ou quatro biatches, sempre acompanhadas de algum El Muerto pelado que finalmente passava a fazer jus ao nome da gangue.

Ela transforma em peneira também o gordinho genial que relaciona armas a tetas, o pequenino Kickstand e quem mais lhe cruzasse o caminho. Pé na porta, balas no tórax, transformando a zona num caos (?). Para Kickstand foram necessários três tiros: Um para o negão e dois para o caralho, que continuou avançando.

Aí ela chega no quarto onde Chavo arrombava a bundinha seca de Angelina. Cômodo que aparentemente possui um isolamento acústico de fazer inveja aos melhores estúdios do mundo, pois o cabeça dos El Muertos não tinha ouvido nenhum dos 762 tiros disparados no ataque.

Vendo a situação deplorável em que a amada se encontrava, a ira cresce na face e no croissant de Sarah, cujos olhos cheios d’água ficam até com aqueles espasmos vibratórios, saca? Ela pede que a ~amiga saia de lá, Chavo se levanta pedindo clemência. Angelina pega a outra arma de Sarah, e agora as duas freiras apontam seus trabucos para a testa do gângster, mas Angie quer mais… Desce um pouco a mira e aponta o revólver para o pintinho do El Muerto.

O engraçado é que ao ver armas apontadas para sua testa, Chavo repetia “No, no, no! Easy! It’s ok! No, no!”. Mas quando apontam para sua piroca, amigos: “NOOOOO! NO, NO, NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!”. Prioridades, você está fazendo isto errado.

Sem demonstrar misericórdia à salsicha que há pouco preenchia seu toba, Angelina dá um tiro certeiro, e vemos um pedaço de pau duro cair no chão do dormitório. Chavo ajoelha-se, olha para suas algozes e urra de dor e ódio, pega o pedaço de pipi do chão e o segura ainda gritando, quando é finalizado com um tiro duplo na testa:

Eu nem consigo imaginar a sincronia necessária para que duas pessoas diferentes, com armas de grosso calibre, consigam fazer uma coisa dessas, mas resolvo ignorar pelo LULz épico. A cena termina de maneira quase poética, com o naco de cacete caindo ao chão novamente, rolando em slow motion até balançar e parar. Isso tudo ainda duro.

Em minha opinião esse seria o desfecho perfeito para essa bodega, mas ainda dá tempo do peidinho final que marca o término da cagada. O Padre – o Cardeal que comanda toda a operação do Sagrado Tráfico – é comunicado por telefone do extermínio da gangue que deveria proteger vosso santificado e enrugado traseiro.

Mas ele tem uma última carta na manga. Um padre sombrio está na sala. Ele usa um chapelão bem lindo (só que não) e carrega uma maleta de metal. E recebe a missão de acabar de vez com as Freiras Nuas com Armas Grandes: Padre John, que se eu não tô ficando maluco é o mesmo que teve a cabeça arrebentada na tacada por Chavo lá no Titty Flicker:

"Eu vou matar aquela linda".

Ele apanhou até virar paçoca de UM El Muerto sozinho, mas vai acabar com a tetéia doida que fodeu a gangue toda. AH, VAI!

Você já tá seguindo o Judão no Twitter, Facebook, Google+ e Tumblr?! Pois deveria. ;D