Thiago Borbolla

CANCUN, MÉXICO ~ Eu já entrevistei gente pra caramba. Robert Downey Jr. já riu de uma piada minha, fiz o Will and Jazz handshake com o próprio Will Smith, a Emma Stone já cantou pra mim, o Samuel L. Jackson já me chamou de motherfucker. E, sempre, depois de uma entrevista, eu ouço a pergunta “e aí, como é ________?”.

Carrie - A EstranhaEu costumo ter 5 minutos, NO MÁXIMO, na frente do entrevistado, num ambiente tão controlado, com uma pressão tão grande de ter de falar em inglês, prestar atenção no tempo, não falar nenhuma merda que possa te foder no futuro… Não dá pra ter muita noção de como ________ é realmente.

Durante o Summer of Sony 2013, tive pelo menos dois contatos com Chloë Moretz: numa entrevista exclusiva — que você só vai poder ver láááá pra Novembro, infelizmente — e numa coletiva, ao lado de Julianne Moore, sobre Carrie – A Estranha. Foi a mesma coisa: ambiente controlado, quatro minutos e muita gente perguntando “como ela é”. Nesse caso, porém, a pergunta tinha um outro fundo, um outro objetivo — que eu mesmo tinha curiosidade em saber.

Quem a acompanha no twitter, instagram, nos trocentos editoriais de moda AND filmes protagonizados por ela já deve ter percebido que não parece que ela tem apenas 16 anos. E não parecia que tinha 15, 14 e 13, quando ela apareceu falando aquele monte de palavrão e chutando todas as bundas do mundo em Kick-Ass.

Carrie também não é um filme lá muito fácil. Por mais que a personagem seja adolescente na idade, pelo tanto de merda que passou só com a própria mãe, a gente percebe que ela é meio… velha, desgastada, cansada. Sissy Spacek, por exemplo, já tinha 26 anos quando interpretou a personagem no filme de Brian de Palma. Na minha nada humilde opinião, é necessário experiência pra esse papel. Sissy tinha na época, Chloë tem agora. Mas… Ela só tem 16 anos. Será que ela SABE disso?!

Há vários meses eu anotei na minha lista de perguntas para pessoas que um dia eu posso vir a entrevistar uma pra ela: “Você sabe quantos anos você tem?”

Durante a coletiva, uma jornalista Britânica, que aparentemente era amiga da Chloë, ou se perfazia de amiga, com seus vinte e tantos anos, começou uma pergunta pra Julianne Moore comentando que conhece a Chloë há alguns anos e “sempre se esquece quantos anos ela tem”. Nesse exato momento, Julianne a interrompeu. E não parecia ser a Julianne atriz, indicada ao Oscar, Globo de Ouro e a porra toda. Era uma mãe. “Ela tem dezesseis. Eu sei. Eu fui na festa dela”.

Julianne Moore e Chloë Grace Moretz

Chloë brincou, dizendo que na noite anterior ela tinha recebido um SMS dela perguntando se ela tinha mudado muito. “Crescido”, corrigiu Julianne. “Quando nós começamos o filme, ela era um pouco menor que me e agora…” — “Igual. Eu sou igual a você, agora”, devolveu Chloë, que ainda disse que acredita que não cresce mais. Não sei se foi uma tentativa hollywoodiana de não fazer a parceira de elenco se sentir mal por ser mais baixinha, mas o modo Mãe da Julianne Moore não diminuiu — e, pelo contrário, ainda disse algo que me fez mudar completamente a perspectiva com que eu costumava olhar (e achar errado) Chloë Grace Moretz. Enquanto a jornalista insistia no fato de ela parecer uma “pequena mulher” por conta do seu guarda-roupa, Julianne disse que ela era “ótima”; Chloë devolveu com “horrível”. “Ótima”. “Horrível”.

Não. Ela é uma ótima garota. Muito divertida. Ela é inacreditavelmente madura, mas ela é só uma adolescente. Eu dizia isso pra ela o tempo todo. Tipo, “eu vejo a adolescente em você”, porque as vezes ela agia tipo “Oh, ela é tão crescida. É como se tivesse 25″. Não. Não. Meu filho é só seis meses mais novo que Chloë, então eu sou bem acostumada com essa idade

Alguns minutos depois eu iria sentar frente a frente com a Chloë. E, ouvindo a voz da mamãe Julianne Moore, acabei riscando a pergunta da minha lista. Já não faria mais sentido. Enquanto ela falava aquelas palavras, deu pra perceber claramente que a senhorita Moretz, a Hit-Girl, que faz tantas caras e (principalmente) tantas bocas em seus ensaios fotográficos, é apenas e tão somente uma menina — o que foi confirmado durante a minha conversa com ela.

Agora é mais fácil olhar pra Chloë Moretz e pensar no trabalho dela, sem distrações do tipo “ela sabe quantos anos ela tem pra fazer isso que tá fazendo?!”. Parar de enxergá-la como a pequena mulher que parece ser e sim como a adolescente fazendo essas coisas de adulto. E esperar que o futuro dela seja tão sensacional quanto está sendo esse presente. Ela é só uma menina. :)

Carrie – A Estranha estreia no Brasil em 29 de Novembro.

Você já tá seguindo o Judão no Twitter, Facebook, Google+ e Tumblr?! Pois deveria. ;D